30/03/2009

Onde vamos parar?

O jornal espanhol El País publicou ontem (29/03), uma notícia sobre a decisão do governo do Rio de Janeiro em construir muros em volta de algumas favelas da cidade para proteger a mata nativa que ainda resta nos morros. Segundo a matéria, o governo garante que essa medida não é discriminatória, mas uma maneira de impedir que as favelas sigam crescendo. No momento, tive a impressão de ler uma dessas estórias fantásticas de ficção, uma idéia para um filme. Como assim? O jornal informava sem dar opinião, o que pude ver também em outros meios por internet. Encontrei no blog da Fundação José Saramago, a seguinte trecho:

"A ideia, agora, é rodear as favelas com um muro de cimento armado de três metros de altura. Tivemos o muro de Berlim, temos os muros da Palestina, agora os do Rio. Entretanto, o crime organizado campeia por toda a parte, as cumplicidades verticais e horizontais penetram nos aparelhos de Estado e na sociedade em geral. A corrupção parece imbatível. Que fazer?"

Construir uma barreira que vai duplicar a diferença social que já existe e por consequência, a violência, com certeza, não é a resposta. Segundo o El País, a obra para as 11 favelas vai custar 40 milhões de reais. Se a metade dese valor fosse usado para investimentos em integração social, educação e saúde para essas mesmas comunidades, estaríamos falando em começar uma mudança, em pensar em soluções.

v.

2 comentários:

  1. Flávia D'Angelo2 de abril de 2009 17:55

    gata
    isso é só um pouquinho do que anda acontecendo por aqui....
    a corrupção quer aparecer, mas em algumas investigações passam agora a apontar erros da Polícia, a discussão passa a ser a respeito do q era ou não permitido à PF e esquecem-se assim de punir a corrupção...
    ufa, da cansaço até
    bjs (teu blog tá o máximo!!)

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que esse projeto de transformar a favela em condominio não vai dar.

    d.

    ResponderExcluir